segunda-feira, 13 de setembro de 2010

['percebi que os sorrisos servem para uma data de coisas, como por exemplo para tapar buracos que aparecem quando o mar das palavras se transforma em deserto']

Há umas semanas era assim:



















Apetece-me gritar. Gritar de dor. Gritar de amor. Mas a voz fica presa. O grito nao sai. E guardo a dor para mim. Porque nao acredito que haja alguém capaz de compreender o que estou a sentir. Porque a dor e sempre maior do que a dor dos outros, Está na hora de começares a pensar por ti: RAIVA.


A minha mente fala: "Liberta o grito que trazes dentro:"

-Então fugi de todos. Escondi-me na distância e tentei soltar uma lágrima no escuro..mas não consegui.

"Quando estamos tristes choramos, não há problema nenhum nisso." eu sei disso..mas não consigo..  mantenho-me imune a todos estes turbilhões de sentimentos dentro de mim..acho que as minhas lágrimas secaram de muito uso..


[Mesmo naquela fase em que eu não estava bem, sabia que havia de chegar o dia em que ficaria bem. Tinha de passar por aquela fase má, mas era a decisão certa..e foi mesmo!]


Ontem ouvi aquela música..o dia de hoje..1 música e 1 dia em que outrora era uma motivo de alegria..agora não é nada..apenas uma altura em que recordo algumas das melhores recordaçoes que passei contigo..

Há momentos que nos ficam para sempre, que guardamos em segredo e no silêncio, para nada nem ninguém lhes possam tocar. São só nossos. A sua importância é incomensurável e por isso pertencem a outra dimensão. Uma dimensão passada mas finita..acabou já.

Mas são as palavras que ficam por dizer que mais nos pesam, prisioneiras no nosso descontentamento, aos gritos dentro da nossa cabeça. Preciso de as libertar, preciso de lavar a alma e limpar o coração e para me ver livre delas, revelo-me neste post sem pudor, porque já não tenho nada a perder..


'Porque simplesmente as coisas nem sempre sao como sonhamos, como idealizamos. Sei que sabes que as coisas nunca sao como nos pensamos, posso ser ingenua e menos esperta do que penso, mas ainda sei distinguir o que devo ou nao fazer. Talvez nunca acreditaste que não sou uma daquelas meninas parvas que se deixam levar numa onda e quando se apercebem ja e tarde, tenho os meus ideais, os meus principios. Acredita que nao vou pelo mais fácil. Quem me dera que nao fosse assim, que visses melhor quem sou e que cresci.'

Hoje: "Cada um vê o que quer ver e ouve o que quer ouvir."


Agora sim, sentei-me em frente ao pc com vontade de sorrir,porque Ela pode ter um interesse qualquer, nem que seja o de me dominar com a sua aparente afabilidade, quebrar todas as minhas resistências, fazer de mim um fantoche, uma marioneta movida por cordelinhos...
Porque tens a ternura desajeitada de quem nunca foi amado..



Quero voltar a voar dentro de mim. Sentir as 8 borboletas na barriga e dar tanto de mim como sinto que tenho para dar. É de mim, vem de dentro. Pertenço a estas artes e assim me manterei.

1 comentário:

  1. É curioso como eu penso também que os outros nunca entenderão por completo o que sinto, mas acho sempre que estou apenas a ser fraca e a enganar-me. Acho sempre que estou a dar demasiada importância a pequenas coisas, a ficar triste desnecessariamente, não dando valor à minha própria dor. As coisas acabam por mudar por vezes quando ouço o que os outros têm para dizer.

    ResponderEliminar

Be my guest! (^,^)