quinta-feira, 5 de maio de 2011

Um silencio rotundo,

Um silencio que não irrompe e que precisa de condicionamento para começar..


Um silencio imóvel,


Um silencio que não perturbe nem faça mal a ninguém.


Um timing que ajude a encontrar a porta de potencial descobrimento.


[Timings inseridos em silêncios que nos acordam para o exterior.]


Uma mistura de impressões, ideias e percepções.


Uma estrutura que ganhe sentido no silencio de uma mente em branco.


Ser muito mais que uma ideia ou uma crença,


Uma experiência latente e possível graças aos silêncios profundos de uma manifestação mítica...


[[Mesmo no cansaço e em silêncio o coração solta gargalhadas e a alma transborda de emoção.]]


Cansa-me o correcto, o esperado.


Trago uma fadiga enorme no cumprir de caminhos impostos..


Trago marcas invisíveis de um tempo sem medida. [ah bela verdade!]


Tão abstracto como o tempo infindo da distância que conto em palavras..


encurtando as horas... outra vez sorrindo. [conto os dias para estar contigo!]


Um tempo tão meu e também tão Teu..


E ainda que a penumbra invada o coração é ao cimo de mim que me abraço, e me liberto e me encontro.


"Vejo-te mas não te conheço ainda,
quero conhecer-te mas não sei que palavras inventar para te puxar para a minha vida...
Junto de ti descobri, de repente, a alegria que trazia escondida numa cave no coração.
Deixei de ter caves e sótãos dentro de mim, corredores escuros onde o vento do medo uivava.
Nunca mais fui assombrada pelas roucas marés da infância.
Todo o amor é uma prisão, minha querida,uma prisão inventada por nós"
A tua ideia de amor é essa - a instrução para a sobrevivência "

Sem comentários:

Enviar um comentário

Be my guest! (^,^)